O que acontece ao corpo quando eliminamos Hidratos de Carbono?

 

O corpo humano precisa de energia para funcionar, isto porque, qualquer atividade realizada pelo corpo humano causa um gasto energético, pelo que necessita de uma fonte de energia – os alimentos. É através da alimentação que o ser humano obtém os  nutrientes de onde retira a energia de que necessita para a realização de todas as suas atividades diárias.

 

A energia fornecida pelos nutrientes exprime-se em calorias, sendo que a classe de compostos que consumimos em grandes quantidades e que proporcionam energia ou desempenham funções estruturais, os chamados Macronutrientes são a Proteína, Hidratos de Carbono e Gordura.

 

A eliminação ou privação de qualquer um destes macronutrientes não é aconselhável, a menos que haja alguma recomendação médica que aponte nesse sentido, contudo, atualmente não é isso a que temos assistido com cada vez mais pessoas aderirem a certos tipos de dietas que nem se deviam de chamar dietas pela forma que são guiadas e sem o acompanhamento necessário para ser realizada de forma eficiente e segura.

 

Os hidratos de carbono apontados por muitos como o principal responsável pelo aumento de peso e ganho de massa gorda tem cada vez mais uma reputação pior devido a desinformação que existe envolta deste tema. As pessoas cujo o objetivo passa por perder massa gorda optam pela eliminação total dos hidratos de carbono muitas vezes, sendo que isso acarreta inúmeros efeitos secundários que não são benéficos ao corpo humano.

 

 

Os hidratos de carbono desempenham um papel fulcral no funcionamento do corpo humano, sendo que a sua privação pode causar cansaço tanto a nível físico como a nível mental, pois privar os açucares obtidos através dos hidratos de carbono que alimentam o nosso cérebro não é aconselhável nem saudável ao corpo humano podendo também levar a situações de dores de cabeça e desmaios por implicar um esforço mental maior.

 

A sua privação pode também causar mau hálito no seu quotidiano e não um mau hálito devido a uma má higiene oral ou derivado de problemas gástricos mas sim devido ao corte radical deste macronutriente e ainda impulsividade na ingestão de açúcares, pois se privamos o nosso cérebro desta fonte de energia ele dá sinais ao nosso corpo de que necessita ingerir açúcar levando muitas vezes a ingestão de açúcares menos bons ao nosso corpo e consequentemente a desequilíbrios nutricionais.

 

Com a sua privação o corpo humano entra num processo giratório em que volta sempre à mesma situação, com o corte radical a impulsividade na ingestão de açúcares aumenta, levando as pessoas a ingerir açúcares não tão bons ao corpo humano e consequentemente a desequilíbrios nutricionais, podendo até aumentar o peso devido a esses mesmo desequilíbrios em que a falta de hidratos é compensada de outra forma que poderá causar um aumento de peso.

 

Para além de entrar numa bola de neve, os outros efeitos secundários da sua privação mantém-se sendo estes o cansaço físico e mental, dores de cabeça frequentes, desmaios e mau hálito.

 

Concluindo, a privação de qualquer macronutriente em nada é benéfico ao corpo humano na obtenção do qualquer objetivo e em termos de saúde do nosso corpo, portanto procura um profissional especializado na área que te possa acompanhar devidamente em todo o processo com o foco na obtenção do teu objetivo de forma segura e eficiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *